Análise da atividade da enzima creatina quinase e da isoenzima CK-MB – Simulação para ensino remoto

Autores

DOI:

https://doi.org/10.16923/reb.v20i2.950

Palavras-chave:

creatina quinase, aula remota, Bioquímica experimental

Resumo

A análise da enzima creatina quinase (CK) e da isoenzima CK-MB está prevista no plano de ensino da Disciplina de Bioquímica para o curso de Medicina. O intuito é ilustrar o tema de metabolismo energético anaeróbico e relacionar com casos clínicos de alterações do tecido cardíaco e infarto agudo do miocárdio. Com o uso de ferramentas acessíveis, como os programas Paint e PowerPoint, o tema foi desenvolvido de forma remota, utilizando simulações para demonstrar as etapas dos experimentos. O material foi apresentado aos alunos e disponibilizado na forma de vídeo. A apresentação e discussão do tema no formato virtual foi bem aceita pelos alunos, embora tenham relatado a importância das aulas presenciais para a formação médica.

Biografia do Autor

Bruna Franchito Freire, PUC-Campinas

Aluna do Curso de Medicina da Pontifícia Universidade Católica de Campinas

Paula Fernandes Gáspari, PUC-Campinas

Possui graduação em Pedagogia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2016) e em Administração Pública pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2013). Atualmente é professora da Prefeitura Municipal de Sumaré. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Ensino-Aprendizagem

CELENE Fernandes Bernardes, PUC-Campinas

Área de Bioquímica

Faculdades de Química, Medicina, Biologia, Nutrição, Farmácia, Veterinária e Fisioterapia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas

Referências

Bong S. M. et al. Structural studies of human brain-type creatine kinase complexed with the ADP-Mg2+-NO3- -creatine transition-state analogue complex. FEBS Lett 582, 3959–3965 (2008).

George R, Wallage M, Goodall R. The use of trypsin to confirm the presence of macrocreatine kinase on isoenzyme electrophoresis. Ann Clin Biochem. 2012;49(Pt 4):359-62.

Burtis CA, Ashwood ER, Bruns DE. Fundamentos de Química Clínica. 6. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

Wang Y, Wang S, Gao YS, Chen Z, Zhou HM, Yan YB. Dissimilarity in the folding of human cytosolic creatine kinase isoenzymes. PLoS One. 2011;6(9):e24681.

Marshall WJ, Lapsley M, Day AP, Ayling RM. Bioquímica Cínica – aspectos clínicos e metabólicos. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2016.

Schlattner, U., Klaus, A., Ramirez Rios, S. et al. Cellular compartmentation of energy metabolism: creatine kinase microcompartments and recruitment of B-type creatine kinase to specific subcellular sites. Amino Acids 48, 1751–1774 (2016).

Huerta-Alardín AL, Varon J, Marik PE. Bench-to-bedside review: Rhabdomyolysis -- an overview for clinicians. Crit Care. 2005 Apr;9(2):158-69.

Jacob R, Khan M. Cardiac Biomarkers: What Is and What Can Be. Indian J Cardiovasc Dis Women WINCARS. 2018;3(4):240-244.

Ye XD, He Y, Wang S, Wong GT, Irwin MG, Xia Z. Heart-type fatty acid binding protein (H-FABP) as a biomarker for acute myocardial injury and long-term post-ischemic prognosis. Acta Pharmacol Sin. 2018 Jul;39(7):1155-1163.

Aydin S, Ugur K, Aydin S, Sahin İ, Yardim M. Biomarkers in acute myocardial infarction: current perspectives. Vasc Health Risk Manag. 2019 Jan 17;15:1-10.

Bostan MM, Stătescu C, Anghel L, Șerban IL, Cojocaru E, Sascău R. Post-Myocardial Infarction Ventricular Remodeling Biomarkers-The Key Link between Pathophysiology and Clinic. Biomolecules. 2020 Nov 23;10(11):1587.

CK-NAC Liquiform. Vista Alegre, MG: Labtest Diagnóstica S.A.; 2014.

CK-MB Liquiform. Vista Alegre, MG: Labtest Diagnóstica S.A.; 2011.

Downloads

Publicado

01-02-2021

Como Citar

Freire, B. F., Gáspari, P. F., & Bernardes, C. F. (2021). Análise da atividade da enzima creatina quinase e da isoenzima CK-MB – Simulação para ensino remoto. Revista De Ensino De Bioquímica, 18(2), 56–61. https://doi.org/10.16923/reb.v20i2.950

Edição

Seção

Simpósio virtual de educação - SBBq