Fotossíntese: superando barreiras no aprendizado através do uso de modelos didáticos interativos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.16923/reb.v19i1.931

Palavras-chave:

Fotossíntese, Modelos Didáticos, Aprendizagem

Resumo

A fotossíntese é um processo essencial para a manutenção da vida, pois permite aos seres clorofilados a produção de matéria orgânica e o fornecimento de oxigênio para à atmosfera. Apesar da sua relevância, muitos estudantes apresentam dificuldades para compreender os processos bioquímicos da fotossíntese. Assim, cria-se uma barreira no processo de ensino e aprendizagem que necessita ser superada através de metodologias eficientes. Os modelos didáticos revelam-se eficazes na construção de conhecimentos complexos ao permitirem a representação da realidade de forma simplificada. Neste sentido, esse trabalho teve por objetivo desenvolver modelos didáticos dinâmicos sobre o processo fotossintético e aplicá-los para estudantes do ensino médio da rede estadual de ensino do município de Juiz de Fora-MG. Os resultados foram positivos, pois demonstraram maior compreensão e interesse dos estudantes em relação à fotossíntese, além da desconstrução de conceitos errôneos referentes a esse conteúdo.

Biografia do Autor

Fernanda Vidal de Campos, Instituto Federal Fluminense Campus Avançado São João da Barra

raduada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), mestre e doutora em Fisiologia Vegetal pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Desenvolve pesquisas na área de Fisiologia Vegetal, com ênfase nas respostas das plantas aos estresses abióticos e também, pesquisas no âmbito do ensino de Ciências e Biologia. Atualmente é professora EBTT e Coordenadora de Pesquisa e Extensão do Instituto Federal Fluminense, Campus Avançado São João da Barra. 

Nilhian Gonçalves de Almeida, Escola Estadual Fernando Lobo, Juiz de Fora-MG

Licenciada e bacharel em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Juiz de Fora- UFJF (2013). Mestre em Biologia e Comportamento Animal (2016) e Especialista no Ensino de Ciências Biológicas (2019) pela mesma Universidade. Atualmente, é docente do quadro efetivo da rede estadual de Minas Gerais.

Referências

Taiz L, Zeiger E. Fisiologia e Desenvolvimento Vegetal. 6. ed. Porto Alegre: Artmed; 2017.

Lumpe AT, Staver JR. Peer collaboration and concept development: Learning about photosynthesis. J. Res. Sci. Teach. 1995; 32(1): 71-98.

Wandersee JH. Students' misconceptions about photosynthesis: A across-age study. Proceedings of the International Seminor on Misconception in Sclence and Mathematics. New York: Ithaca; 1983.

Souza SCD, Almeida MJPMD. A fotossíntese no ensino fundamental: compreendendo as interpretações dos alunos. Ciênc. Educ. (Bauru) 2002; 8(1): 97-111.

Ausubel DP, Novak JD, Hanesian H. Educational psychology: A cognitive view. 1. ed. New York: Holt, Rinehart e Winston; 1968.

Trazzi PSDS, Oliveira IMD. O processo de apropriação dos conceitos de fotossíntese e respiração celular por alunos em aulas de biologia. Ens. Pesq. Educ. Ciênc. (Belo Horizonte) 2016; 18(1): 85-106.

Gomes LMDJB. A história do jogo "Fotossíntese e Respiração Aeróbica - vamos quebrar a cabeça?". Rev. Form. Prat. Docen. 2016; (1).

Kunz RI, Natali MRM, Torquato EFB, Ribeiro LDFC, Della Justina LA, Brancalhão RMC. Proposta didática no ensino integrado da morfologia: células e tecido ósseo. Exp. Ens. Ciênc. 2017; 12(2): 38-52.

de Sousa Silva ST, de Souza Teixeira RR, Cardoso RHF, Carvalho RCS, da Silva Santos JV, de Araujo Veloso VD. Reflexões sobre o ensino de química e a confecção de modelos atômicos com matérias reaproveitáveis como prática pedagógica. Rev. Dest. Acad. 2020; 11(4).

Silva FSD, Catelli F. Os modelos no Ensino de Ciências: Reações de estudantes ao utilizar um objeto-modelo mecânico concreto analógico didático (OMMCAD). Rev. Bras. Ens. Fis. 2020; 42.

Bianchi CS, Melo WV. Compreendendo o modo de vida autótrofo: concepções de alunos sobre a fotossíntese. Exp. Ens. Ciênc. 2015; 10(1): 1-14.

Heidrich DN, Angotti JAP. Implantação e avaliação de ensino semipresencial em disciplinas de bioquímica utilizando ambiente virtual de aprendizagem. Rev. Ens. Bioq. 2010; 8(1): 45-58.

Solner TB, Fernandes LDS, Peixoto SC, Fantinel, L. O ensino de Bioquímica no Brasil: um olhar para a educação básica. Rev. Deb. Ens. Quim. 2019; 5(2): 126-137.

Barker M. A plant is an animal standing on its head. J. Biol. Educ. 1995; 29(3): 201-208.

de Freitas Zompero A, Laburú CE. Significados de fotossíntese produzidos por alunos do ensino fundamental a partir de conexões estabelecidas entre atividade investigativa e multimodos de representação. Rev. Electrón. Enseñ. Ciênc. 2014; 13(3).

Liesenfeld V, Arfelli VC, da Silva TM, de Oliveira JMP. Fotossíntese: utilização de um modelo didático interativo para o processo de ensino e aprendizagem. Rev. Ens. Bioq. 2015; 13(1): 9-26.

Ursi S, Barbosa PP, Sano PT, Berchez FADS. Ensino de Botânica: conhecimento e encantamento na educação científica. Estud. Av. 2018; 32(94): 7-24.

Balas B, Momsen JL. Attention “blinks” Differently for Plants and Animals. Life. Sci. Educ. 2014; 13: 437-443.

Downloads

Publicado

15-07-2021

Como Citar

de Campos, F. V., & de Almeida, N. G. (2021). Fotossíntese: superando barreiras no aprendizado através do uso de modelos didáticos interativos. Revista De Ensino De Bioquímica, 19(1), 39–58. https://doi.org/10.16923/reb.v19i1.931

Edição

Seção

REB na Escola