Um jogo de construção para o aprendizado colaborativo de Glicólise e Gliconeogênese

Autores

  • Felipe Sales de Oliveira Instituto de Bioquímica Médica Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  • Caroline Dutra Lacerda Instituto de Bioquímica Médica Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  • Patrícia Santos de Oliveira Colégio Estadual Central do Brasil
  • Ana Amália Coelho Instituto de Bioquímica Médica Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  • Maria Lucia Bianconi Instituto de Bioquímica Médica Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) http://www.bioqmed.ufrj.br/docentes/?u=bianconi

DOI:

https://doi.org/10.16923/reb.v13i1.535

Palavras-chave:

jogo educativo, glicólise, gliconeogênese

Resumo

O jogo “Glicólise & Gliconeogênese” foi desenvolvido para auxiliar alunos do curso de Odontologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro no aprendizado colaborativo dessas vias metabólicas. O jogo inicia com 11 cartas contendo apenas a fórmula estrutural dos intermediários da glicólise, as quais devem ser colocadas numa sequência correta de modificações estruturais, desde a glicose até o piruvato. Após completarem a via corretamente, os alunos recebem 10 cartas das enzimas, as quais indicam a reversibilidade (ou não) da reação, o valor de energia livre e os ativadores e/ou inibidores, quando for o caso. Após responderem questões de fixação do conteúdo, por meio de observações da via metabólica montada, os alunos recebem cinco novas cartas que permitem a substituição daquelas necessárias para transformar a glicólise em gliconeogênese. A avaliação por 18 alunos sugere que o jogo é uma ótima estratégia de ensino de vias metabólicas podendo ser usado para outras vias além dessas que utilizamos.

Biografia do Autor

Felipe Sales de Oliveira, Instituto de Bioquímica Médica Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Aluno de Doutorado

Programa de Educação, Gestão e Difusão das Biociências

Caroline Dutra Lacerda, Instituto de Bioquímica Médica Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Aluna de Doutorado

Programa de Biologia Estrutural

Patrícia Santos de Oliveira, Colégio Estadual Central do Brasil

Professora de Biologia

Ana Amália Coelho, Instituto de Bioquímica Médica Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Aluna de Licenciatura em Ciências Biológicas, UFRJ/CEDERJ

Bolsista de Iniciação Científica

Maria Lucia Bianconi, Instituto de Bioquímica Médica Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) http://www.bioqmed.ufrj.br/docentes/?u=bianconi

Professora Associada

Programa de Biologia Estrutural e Programa de Educação, Gestão e Difusão de Biociências

Áreas de interesse: Biocalorimetria, termodinâmica, educação em ciências e divulgação científica.

Referências

Schoenmaker F. Análise das dificuldades na disciplina de Bioquímica diagnosticadas por um Plantão por um Plantão de Dúvidas on line. Universidade de São Paulo, 2009.

Vargas LHM. A Bioquímica e a Aprendizagem Baseada em Problemas. Rev Ensino Bioquímica 2001;1:15–9.

Wood EJ. Biochemistry is a difficult subject for both student and teacher. Biochem Educ 1990;18:170–2.

Barbosa MRLS, Martins APR. Avaliação: Uma Prática Constante no Processo de Ensino e Aprendizagem. Rev Da Católica 2011;3. http://catolicaonline.com.br/revistadacatolica2/artigosv3n5/artigo27.pdf (acessado em: 20 de fevereiro de 2015).

Lara ICM. Jogando com a matemática de 5a a 8a série. Rêspel. São Paulo: 2003.

Nagata R. Learning biochemistry through manga - Helping students learn and remember, and making lectures more exciting. Biochem Educ 1999;27:200–3.

Azevedo AMP, Lazzarotto GB, Timm MI, Zaro MA. Relato de uma experiência com o uso do Diagrama Metabólico Dinâmico Virtual do Ciclo de Krebs. Novas Tecnol Na Educ 2004;2:1–9.

Perazzo P, Barbosa DS, Gadelha TS, Alberto C, Gadelha DA, Persuhn C. Perfil – Biomoléculas. Rev Ensino Bioquímica 2014;12:24–33.

Farkuh L, Pereira-leite C. Bioquim4x: um jogo didático para rever conceitos de bioquímica. Rev Ensino Bioquímica 2014;12:37–54.

Randi MAF. Criação, aplicação e avaliação de aulas com jogos cooperativos do tipo RPG para o ensino de biologia celular. Universidade Estadual de Campinas, 2011.

Gokhale AA. Collaborative learning enhances critical thinking. Journal Technology Education 1995;7:22–30.

Downloads

Publicado

30-06-2015

Como Citar

Sales de Oliveira, F., Dutra Lacerda, C., Santos de Oliveira, P., Coelho, A. A., & Bianconi, M. L. (2015). Um jogo de construção para o aprendizado colaborativo de Glicólise e Gliconeogênese. Revista De Ensino De Bioquímica, 13(1), 45–57. https://doi.org/10.16923/reb.v13i1.535

Edição

Seção

Inovações educacionais