Tateando a célula: produção de modelo tátil no ensino de Biologia para alunos com deficiência visual

Autores

DOI:

https://doi.org/10.16923/reb.v21i2.1042

Palavras-chave:

Material tátil, Célula eucariótica, Educação Inclusiva

Resumo

As pessoas com deficiência visual demandam práticas educativas diferenciadas e inclusivas. São escassos os trabalhos na literatura sobre Educação Inclusiva para estudantes com deficiência visual no ensino de biologia. Buscando facilitar e dinamizar os processos de ensino aprendizagem da disciplina, esse trabalho teve como objetivo produzir um modelo tátil sobre o tema citologia e um tutorial para replicação e utilização no âmbito da deficiência visual, no Ensino Médio do Centro de Educação de Jovens e Adultos Instituto Benjamin Constant (CEJA-IBC), no Rio de Janeiro. O produto foi confeccionado pela professora responsável pela disciplina e foi testado e avaliado por professores e técnicos da instituição e, posteriormente, aplicado em oficina presencial para alunos com deficiência visual. Este recurso facilitou a abordagem da temática citologia no âmbito da deficiência visual.

Biografia do Autor

Renata Sarkis Neiva, Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ

Mestrado Profissional em Ensino de Biologia - Unidade UERJ

Andréa Espinola de Siqueira, Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ

Departamento de Ensino de Ciências e Biologia, Instituto de Biologia Roberto Alcantara Gomes (IBRAG),
Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

José Carlos Pelielo de Mattos, Universidade do estado do Rio de Janeiro

Departamento de Ciências da Natureza, Instituto de Aplicação Fernando Rodrigues da Silveira (CAp-UERJ),
Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Referências

IBC - INSTITUTO BENJAMIN CONSTANT. Conceitos de deficiência. 2009. Acesso em: 22 de abril de 2020. Disponível em: <http://www.ibc.gov.br/?catid=83&blogid=1&itemid=396>.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília: Casa Civil, 1988.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2019. Rio de Janeiro: IBGE, 2019. Acesso em: 05 de fevereiro de 2022. Disponível em: https://censos.ibge.gov.br/2013-agencia-denoticias/releases/31445-pns-2019-pais-tem-17-3-milhoes-de-pessoas-com-algum-tipo-dedeficiencia. html#:~:text=Segundo%20a%20PNS%202019%2C%203,4%2C0%25%20das%20mulheres.

Nepomuceno TAR, Zander LD. Uma análise dos recursos didáticos táteis adaptados ao ensino de ciências a alunos com deficiência visual inseridos no ensino fundamental. Benjamin Constant, Rio de Janeiro, 2015;1(58):49-63.

Oliveira AA. Um olhar sobre o ensino de ciências e Biologia para alunos deficientes visuais. [Mestrado]. Universidade Federal do Espírito Santo, Espírito Santo, 2018.

Saviani D. Pedagogia histórico crítica: primeiras aproximações. 9ª ed., Campinas, Autores Associados, 2005.

Santos JS. A escolarização do aluno com deficiência visual e sua experiência educacional. [Mestrado]. Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2007.

Teixeira PMM, Neto JM. Pós-graduação e pesquisa em ensino de Biologia no Brasil: um estudo com base em dissertações e teses. Ciência e Educação, 2011;17(3):559-578.

Wallach RM, Viana GCS, Pimentel MIMD, Simões ML. Utilização de modelos táteis no ensino de citologia com estudantes do instituto dos cegos Adalgisa Cunha – PB. Congresso Internacional de Educação Inclusiva. 2016.

Lopes NR, Almeida LA, Amado MV. Produção e análise de recursos didáticos para ensinar alunos com deficiência visual o conteúdo de mitose: Uma prática pedagógica no ensino de Ciências Biológicas. Revista Eletrônica Debate em Educação Cientifica e Tecnológica, 2012;2:7.

Silva DM. Produção de um modelo didático acessível adaptado para o ensino de ciências a alunos cegos acerca das camadas da atmosfera [Graduação em Ciências Biológicas]. Universidade Federal de Pernambuco; 2019.

Krasilchik M. Prática de ensino de biologia. 4ª ed. São Paulo: USP, 2008.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.

Mazzota MJS. Educação Especial no Brasil: História e políticas públicas. 5ª ed. São Paulo: Cortez, 1996.

Cardinali SMM, Ferreira AC. A aprendizagem da célula pelos estudantes cegos utilizando modelos tridimensionais: um desafio ético. Revista Benjamin Constant, Rio de Janeiro, 2010;46(46):5-12.

Amabis JM, Martho GR. Biologia dos Organismos. 2ª ed. São Paulo: Moderna, 2016.

Ferreira TCRP, Rodrigues A S, Costa FLP. Análises e discussões acerca do uso de um material didático táctil para o ensino do tema padrões de herança a estudantes com deficiência visual. Revista Benjamin Constant, Rio de Janeiro, 2020;61(2):24-41.

Downloads

Publicado

30-12-2023 — Atualizado em 10-07-2024

Versões

Como Citar

Neiva, R. S., de Siqueira, A. E., & de Mattos, J. C. P. (2024). Tateando a célula: produção de modelo tátil no ensino de Biologia para alunos com deficiência visual. Revista De Ensino De Bioquímica, 21(2), 151–163. https://doi.org/10.16923/reb.v21i2.1042 (Original work published 30º de dezembro de 2023)

Edição

Seção

Inovações educacionais