ATraPalhados revisando bioquímica: foco na respiração celular

Autores

DOI:

https://doi.org/10.16923/reb.v21i1.1038

Palavras-chave:

Bioquímica, Jogo didático, aprendizado ativo

Resumo

O ensino de bioquímica é muito importante e apaixonante, mas, ao mesmo tempo, complexo de entendimento por parte dos alunos, principalmente na integração dos temas trabalhados. A ludicidade tem sido descrita como uma estratégia eficaz no ensino/aprendizagem. Este artigo relata a experiência do desenvolvimento e aplicação de um jogo de bioquímica intitulado ATraPalhados em sala de aula. O tema abordado no jogo é a respiração celular. O desenho procedimental baseou-se na utilização de questões objetivas e vídeos em uma dinâmica com elementos de tabuleiro (dados e cartas), como uma alternativa mais prática de trabalhar com os temas abordados na disciplina de Bioquímica de um Curso de Odontologia. Durante a dinâmica, os alunos puderam interagir com os conteúdos abordados, pensar e discutir ativamente sobre eles, fazendo associações entre as diferentes etapas da respiração celular. A impressão dos alunos sobre jogo foi descrita. Acredita-se que o jogo foi útil e reforçou a aprendizagem dos alunos.

Biografia do Autor

Daiana Moraes Balinha, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Estudande de graduação do Curso de Odontologia da UFRGS

Angela TS Wyse, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)/ Departamento de Bioquímica, ICBS

Professora Titular de Bioqumica, Departamento de Bioqumica, ICBS, UFRGS. Pesquisadora 1A do CNPq, área de atuação: bioqumica e neurociências, Membro Titular da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e Membro titular da Academia Mundial de Ciências (TWAS).

Referências

Gomes G, Rangel M. Relevância da disciplina bioquímica em diferentes cursos de graduação da UESB, na cidade Jequié. Rev.Saúde.Com. 2006; 2(1): 161-168

Lima K, Calaça P, Moura Y, Porto A, Bezerra R. Ludicidade como estratégia didática no processo de Ensino-aprendizagem em bioquímica: perspectiva sob olhar docente. Renbio. 2021; 14 (2): 863-899

Silveira C, Lopes de Andrade F. Estratégia Para O Ensino Do Metabolismo Dos Carboidratos Para O Curso De Farmácia, Utilizando Metodologia Ativa De Ensino. Revista de Ensino de Bioquímica. 2012; 10 (1):10.

Cox J. Enhancing Student Interactions With The Instructor And Content Using Pen-Based Technology, Youtube Videos, And Virtual Conferencing. Biochemistry and Molecular Biology Education. 2011; 39 (1): 4-9.

Guimarãoes C. Experimentação no ensino de química: caminhos e descaminhos rumo a aprendizagem significativa. Revista Química Nova na Escola. 2009; 31(3):198-202.

Fialho NN. Os Jogos Pedagógicos como Ferramenta de Ensino. In: Congresso Nacional de Educação; 06 a 09 de outubro de 2008, Curitiba, PR. Anais do VIII Congresso Nacional de Educação (EDUCERE). 2008. p. 12298-12306.

Silveira T, Da Rocha T, Rocha A. Produção científica sobre estratégias didáticas utilizadas no ensino de Bioquímica: uma revisão sistemática. Revista de Ensino de Bioquímica. 2016; 14 (3): 7-15.

Farkuh L.; Pereira-Leite C. Bioquim4x: Um Jogo Didático Para Rever Conceitos De Bioquímica. Revista de Ensino de Bioquímica. 2014; 12 (2): 37.

Carvalho C., Sousa S., Gois C., Camelo L, Carvalo S. Diversão e Bioquímica na mesma frase: A Construção de Jogos Didáticos para o Ensino de Vias Metabólicas. Revista Encontros Universitários da UFC. 2018; 3(1): 61-75.

Baeta, M, Hornink G. As aventuras de Kreber: jogo digital sobre o metabolismo energético. Revista de Ensino deBioquímica. 2019;17(1): 16-36.

Barbosa P et al. Perfil Biomoléculas. Revista de Ensino em Bioquímica. 2014: 12 (1): 25-33.

Carvalho J, Abel L, Beltramini , Bossolan N. Sintetizando proteínas, o jogo: proposta e avaliação de uma ferramenta educacional. Revista de Ensino de Bioquímica. 2014; 12 (1): 48-61.

Weyh A, Carvalho I, Garnero A. Twister proteico: uma ferramenta lúdica envolvendo a síntese de proteínas. Revista de Ensino de Bioquímica. 2015; 13 (1): 58-74.

Oliveira FS et al. Um jogo de construção para o aprendizado colaborativo de Glicólise e Gliconeogênese. Revista de Ensino em Bioquímica. 2015; 13 (1): 46-57.

Colman A, Lucena M. Metagame: uma proposta para o Ensino de Bioquímica. Revista Imagens da Educação. 2022; 12 (1): 102-121.

Schaeffer G, Angotti J. Jogos digitais na apropriação de conhecimentos científicos. Revista Novas Tecnologias na Educação (RENOTE). 2016; 14 (1):1-10.

Nelson A, Cox M. Lehninger princípios de bioquímica. 7ed. São Paulo: Artmed, 2019.

Champe P, Harvey R, Ferrier D, Dalmaz C. Bioquímica ilustrada. 4ed. Porto Alegre: Artmed, 2009

Faustino V, Santos G, Aguiar P. É brincando que se aprende! Uso de jogos educativos como estratégia na construção do conhecimento em Assistência Farmacêutica. 2022; 26: e210312.

Nogara PA, Schimitz, GL, Eisenhardt L, Moura BL, Rocha J, Oliveira, C. Percepção de estudantes de graduação de uma Universidade brasileira sobre a disciplina de Bioquímica. Revista de ensino de Bioquímica. 2018;16 (1): 5-24.

Santos A, Santos P, Marques R. O ensino de bioquímica da respiração celular facilitado por aplicativo para aparelho celular. Research, Society and Development. 2022; 11 (3): 1-12.

Zanon D, Guerreiro MA, Oliveira R. Jogo didático Ludo Químico para o ensino de nomenclatura dos compostos orgânicos: projeto, produção, aplicação e avaliação. Ciências e Cognição. 2008; 13 (1): 72-81.

Morán, J. O Vídeo na Sala de Aula. Comunicação & Educação. 2021; 2: 27-35.

Arroio, A, Giodan, M. O Vídeo Educativo: Aspectos da Organização do Ensino. Química Nova na Escola. 2006; 4: 7-10.

Melo N, Oliveira P, Araújo R. Relato de experiência: construção de jogos didáticos nas aulas de bioquímica no ensino superior. Revista Interinstitucional Artes de Educar. 2021; 7(3): 1453-1464

Soares B, Cavalheiro G. O ludo como um jogo para discutir os conceitos de termoquímica. Química Nova na Escola. 2006; 23 (2): 27-31.

Carretero M. Construtivismo e Educação. Porto Alegre: Artmed, 1997.

Domingos A, Racena P. Elaboração de jogos didáticos no processo de ensino-aprendizagem de química: a construção do conhecimento. Ciência e Cognição. 2010; 15 (1): 272-281.

Pontes A et al. Jogos didáticos como recurso de fixação de conteúdos de química na

Educação Superior. Revista Arquivos Científicos (IMMES). 2020; 3 (1): 51-60.

Miranda S. No Fascínio do jogo, a alegria de aprender. Ciência Hoje. 2001; 28: 64-66.

Downloads

Publicado

02-06-2023

Como Citar

Balinha, D. M., & Wyse, A. T. (2023). ATraPalhados revisando bioquímica: foco na respiração celular. Revista De Ensino De Bioquímica, 21(1), 17–33. https://doi.org/10.16923/reb.v21i1.1038

Edição

Seção

Inovações educacionais