Jogo Perfil Proteico: Abordando função de proteínas no ensino médio com base no conhecimento prévio dos estudantes e apoiando com ferramentas inclusivas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.16923/reb.v21i1.1029

Palavras-chave:

Jogos educativos, proteínas, aprendizagem inclusiva

Resumo

A Bioquímica é um dos temas centrais da Biologia na base comum curricular do ensino médio. Alguns trabalhos mostram concepções equivocadas dos alunos do ensino médio acerca da função de uma classe importante de biomoléculas abordadas neste tema, as proteínas. O presente trabalho propõe e avalia uma sequência didática tendo como suporte um jogo de tabuleiro com moléculas em 3D, para que os alunos produzam e sistematizem o conhecimento, de forma lúdica, das diversas funções proteicas. A aplicação da sequência didática completa foi realizada para uma turma do ensino integrado em uma escola pública de âmbito federal enquanto uma aplicação mais breve do jogo foi realizada em um museu de ciências para alunos de escola pública de âmbito estadual. As análises dos questionários preenchidos pelos estudantes da aplicação em sala de aula mostram que eles foram capazes de aumentar o repertório de categorias de funções proteicas mencionadas. Além disso, mais estudantes foram capazes de mencionar doenças relacionadas a proteínas após a atividade. Com relação à percepção dos alunos acerca do jogo mais de 90% se sentiram estimulados a interagir com os pares e atribuíram valor/utilidade a tarefa realizada. A aplicação no museu de ciências teve uma menor concordância com estas percepções, por volta de 70-80%, provavelmente devido ao curto prazo de aplicação e ausência de uma sistematização da atividade. É provável que, juntamente como uma sistematização do conhecimento, o jogo pode favorecer o interesse por aprender e contribuir para a construção do conhecimento dos estudantes, mais especificamente acerca de funções importantes como enzimática, comunicação, armazenamento, transporte e defesa.

Biografia do Autor

Camila Dias Lopes, COLTEC - UFMG

É professora da Carreira de Magistério do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do Colégio Técnico (Universidade Federal de Minas Gerais) e orientadora no PROFBIO (Mestrado Profissional em Ensino de Biologia em rede nacional). Possui Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Bioquímica e Imunologia pela UFMG. Realizou doutorado sanduíche no laboratório SysDiag - Modélisation et Ingénierie des Systèmes Complexes Biologiques pour le Diagnostic (2010), em Montpellier, na França, onde trabalhou com Métodos de Diagnóstico Inovadores, Produção de Anticorpos Monoclonais, Predição de Epitopos e Biologia Sintética. Tem experiência na docência em ensino superior, básico e profissional. Realizou 3 anos de pós-doutorado, ampliando os conhecimentos em Diagnóstico, anticorpos e epitopos, e Bioinformática. Trabalhou como analista técnica da Unidade de Consultoria da Biominas Brasil, com Prospecção e Transferência de oportunidades tecnológicas e de produtos, entre universidades e empresas Brasileiras e Estrangeiras. Atuou na aréa de Genotipagem da empresa Gene/Genealógica, durante 5 anos, onde adquiriu experiência em Genética e Biologia Molecular. Atualmente está envolvida na orientação de mestrandos em aplicações em sala de aula, TCMs e apoio à construção de atividades didáticas usadas nacionalmente no PROFBIO.

Raquel Milagres Oliveira, UFMG

Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Minas Gerais-UFMG (2012). Especialista em ensino de ciências por investigação na Universidade Federal de Minas Gerais (2017) Tem experiência no âmbito laboratorial na área de Parasitologia, Imunologia, biotecnologia, análises clínicas, sistemática botânica, educação ambiental e gestão de resíduos sólidos. Atuou no laboratório de Helmintologia veterinária/UFMG principalmente nos seguintes temas: zoonose, inspeção de carne, malacologia e biologia molecular (2011). Atuou como técnico no herbáro BHCB/UFMG nas áreas de sistemática botânica e gestão de dados botânicos (2013). Atua como professor e tutor para o nível fundamental e médio e na produção de material e jogos didáticos (2022). Atua como assessor científico e analista da qualidade para equipamentos biomédicos. (2022)

Raissa Segal Marciano, UFMG

Graduada em Licenciatura em Química - UFMG. Graduação em bacharel em química em andamento - UFMG. Experiência na área de Química, com ênfase em Química inorgânica e bioquímica (impressão 3D).

Referências

Brasil, Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Básica. MEC, SEB, DICEI, Brasília, 2013.

Songer N. Science Education and the Learning Sciences as Coevolving Species. In Sawyer R., editor. The Cambridge Handbook of the Learning Sciences. 2nd ed. Cambridge: Cambridge University Press, 2014.

Nayra RA. Elaboração e utilização de um aplicativo como ferramenta no ensino de Bioquímica: carboidratos, lipídios, proteínas e ácidos nucléicos. Revista de ensino de Bioquímica, 2015; 13: 56-75.

Carvalho JCQ, Abel LDS, Beltramini LMM, Bossolan NRS. “Sintetizando Proteínas”, o jogo: proposta e avaliação de uma ferramenta educacional. Revista de Ensino de Bioquímica, 2014; 12: 48-61.

Carvalho JCQ, Couto SG, Bossolan NRS. Algumas concepções de alunos do ensino médio a respeito das proteínas. Ciência & Educação, 2012; 18: 897-912.

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. : Censo da Educação Básica 201. Brasília : Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2019.

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. : Censo da Educação Básica 2000. Brasília : Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2000.

Sonza AP, Santarosa, LMC. Ambientes Digitais Virtuais: Acessibilidade Aos Deficientes Visuais. Renote, 2003; 1: 1–11.

Dynadel Digital Ltda. Grow games [internet]. BrDynadel Digital Ltda.; 2021. Disponível em: www.growgames.com.br

Burkeley SK, Bhikadiya C, Bi Chunxiao et al. RCSB Protein Data Bank: powerful new tools for exploring 3D structures of biological macromolecules for basic and applied research and education in fundamental biology, biomedicine, biotechnology, bioengineering and energy sciences.

Nucleic Acids Research, 2020: 49: 437–451.

Schrodinger. Pymol [internet]. Schrodinger; 2021. Disponível em: https://pymol.org.

Beltrame EV, Tyrwhitt-Drake J, Roy I, Shalaby R et al. 3D printing of biomolecular models for research and pedagogy. Journal of Visualized Experiments, 2017: 121: 1–8.

Dewey J. Experiência e educação. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1979.

Downloads

Publicado

02-06-2023

Como Citar

Lopes, C. D., Oliveira, R. M., & Marciano, R. S. (2023). Jogo Perfil Proteico: Abordando função de proteínas no ensino médio com base no conhecimento prévio dos estudantes e apoiando com ferramentas inclusivas. Revista De Ensino De Bioquímica, 21(1), 52–71. https://doi.org/10.16923/reb.v21i1.1029

Edição

Seção

REB na Escola