Concepções de estudantes do Ensino Fundamental sobre o SARS-CoV-2

Autores

DOI:

https://doi.org/10.16923/reb.v20i2.1010

Palavras-chave:

Coronavírus, Educação, Aprendizagem, Ensino remoto

Resumo

Em decorrência da pandemia COVID-19, as atividades escolares presenciais foram substituídas pelo ensino remoto. Assim, acreditamos que muitos estudantes tiveram dificuldades em entender questões relacionadas ao vírus. Diante disso, o objetivo deste estudo foi conhecer as concepções dos estudantes sobre o vírus. Foi realizada uma investigação com estudantes do 7º ao 9º ano, onde os mesmos desenharam e escreveram sobre o que entendiam sobre o SARS-CoV-2. Os resultados mostram que os estudantes apresentam conhecimentos errôneos sobre vírus. Os alunos também representaram o coronavírus com características humanizadas e o associaram com bactérias. No entanto, os estudantes enfatizam em suas descrições que os vírus são invisíveis, mas não sabem ao correto o tamanho real do mesmo. Assim, ressalta-se a importância de abordagens mais aprofundadas acerca dessa temática, que facilitem a aprendizagem dos estudantes para que os mesmos sejam conhecedores e disseminadores de informações corretas.

Referências

Gruber A. Covid-19: o que se sabe sobre a origem da doença. Jornal da USP, 2020. Acesso em 25 de junho de 2020. Disponível em:< https://jornal.usp.br/artigos/covid2-o-que-se-sabe-sobre-a-origem-da-doenca/>.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Tedros Adhanom Ghebreyesus. Disponível em:<https://twitter.com/DrTedros>.

Bezerra KP, Costa Kf de L, Oliveira, LC, Fernandes ACL, Carvalho FPB, Nelson ICA de SR. Ensino remoto em universidades públicas estaduais: o futuro que se faz presente. Research, Society and Development. 2020; 9(9): e359997226-e359997226.

Brasil. Ministério da Educação. Gabinete do Ministro. Portaria Nº 343, de 17 de março de 2020. Brasília, 2020.

Hodges C, Moore S, Lockee B, Trust T, Bond A. The Difference Between Emergency Remote Teaching and Online Learning. EDUCAUSE Review, 2020. [periódicos na internet]. Acesso em 11 de agosto de 2021. Disponível em: https://er.educause.edu/articles/2020/3/the-differencebetween-emergency-remote-teaching-and-online-learning#fn3.

Sivaldo PS. Políticas de acesso à Internet no Brasil: indicadores, características e obstáculos. Cadernos adenauer xvi. 2015.

Peixoto R, Oliveira EMS. As mídias digitais no contexto da sociedade contemporânea: influências na educação escolar. Redoc Rio de Janeiro. 2021; 5(1): 80-96.

Araújo IA. Formação de professores e tecnologias da informação e da comunicação: Professor, você tem medo de quê? Vertentes. [periódicos internet] São João Del-Rei 2010. Acesso em 11 de agosto de 2021. Disponível em: <http://www.ufsj.edu.br/portal2-repositorio/File/vertentes/Vertentes_35/ivanildo_amaro.pdf>.

Galhardi PC, Freire PN, Minayo SCM, Fagundes MCM. Fact or Fake? An analysis of disinformation regarding the Covid-19 pandemic in Brazil. Ciênc. saúde coletiva. 2020.

Nery AA, Alves MS, Nascimento SM, Silva DR, Soares RG. Adolescente como agente multiplicador em educação sexual. REVISE - Revista Integrativa Em Inovações Tecnológicas Nas Ciências Da Saúde. [periódicos na internet]. Acesso em 11 de agosto de 2021. Disponível em: https://doi.org/10.46635/revise.v1i01-02.1630.

Matos DAS, Jardilino JRL. Os conceitos de concepção, percepção, representação e crença no campo educacional: similaridades, diferenças e implicações para a pesquisa. Educação & Formação 2016; 1(3) 20-31.

Brasil (BNCC). Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.

Lacerda DMM, Pereira ÁJ, Cavalcante JFM. O ensino de bioquímica e microbiologia por meio de aulas práticas em uma abordagem interdisciplinar. Revista de Ensino de Bioquímica 2020; 20(1): 42-66.

Camargo PF, Silva AFG, dos Santos ACA. Microbiology in textbooks and in booklets: documental analysis. Revista Iberoamericana de Educación 2018; 78(2): 41-58.

Moresco RT, Barbosa NV, Rocha JBT, Ensino de Microbiologia e a Experimentação no Ensino Fundamental. Contexto e Educação 2017; 32(103).

Felcher CDO, Folmer V. Ciberformação com professores de matemática: concepções e percepções frente ao uso do código QR. Educação Matemática em Revista-RS 2019; (1): 62-71.

Moraes R, Galiazzi MC. Análise Textual Discursiva. Ijuí: UNIJUÍ, 2013.

Moraes R, Galiazzi MC. Análise Textual Discursiva: Processo Reconstrutivo de Múltiplas Faces. Ciência & Educação. 2006;12(1):117-128.

Minayo, M. C. de S. Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. 18 ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

Moraes R. Análise de conteúdo. Revista Educação 1999; 22(37): 7-32.

Surveygizmo. Using Word Clouds to present your qualitative data. Sandy McKee. Acessível em https://www.surveygizmo.com/survey-blog/what-you-need-to-know-

when-using-word-clouds-topresent-your-qualitative-data. Acesso em 12 nov 2021.

Firmanshah MI, Jamaluddin J, Hadiprayitno G. Learning difficulties in comprehending virus and bacteria material for senior high schools. Indonesian Journal of Biology Education 2020; 6(1): 165-172.

Simon UK, Enzinger SM, Fink A. "The evil virus cell": Students ‘knowledge and beliefs about viruses. PloS one 2017; 12(3): 1-21.

Azevedo TM, Sodré L. Conhecimento de estudantes da educação básica sobre bactérias. Revista de Educação, Ciências e Matemática 2014; 4(2): 22-36.

Piaget, J e Vigostski, L.S Desenvolvimento e aprendizagem em Piaget e Vigotski: A relevância do social. 6 edição. São Paulo, 2015.

Uzunkaya A, Ozgur S. Effects of an instruction based on dominant intelligence on overcoming misconceptions. Journal of Education 2011; 4(1): 461-472.

Aquino S, Borges, MCJ. O ensino de Ciências e a importância da metodologia para a aprendizagem. Uma experiência vivida estágio na cidade de Fortim. In Simpósio de Pesquisa 2009; (1).

Byrne J, Sharp J. Children’s ideas about micro-organisms. School Science Review 2006; 88(32).

UNESCO. (2005). Ensino de ciências: Futuro em risco. [citado em 08 mai. 2018]. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0013/001399/139948por.pdf.

Lorenzetti L, Delizoicov D. Alfabetização científica no contexto das séries iniciais. Revista Ensaio 2001; 03(1): 45-61.

Chassot, A. Alfabetização Científica: questões e desafios para a educação. Ijuí: Unijuí, 2006.

Bender CD, Tonin GM. Ensino Aprendizagem de Ciências: Metodologias que contribuam no processo. Revista educação do IDEAU. 2018; 13(27).

Nogueira DD, Brasileiro, TSA. A influência das mídias digitais no comportamento social dos alunos: percepção de professores do 6º ao 9º ano da escola ubaldo correa. RECH- Revista Ensino de Ciências e Humanidades – Cidadania, Diversidade e Bem Estar 2019; 2(1): 351-376.

Oliveira RM, Corrêa Y, Morés A. Ensino remoto emergencial em tempos de Covid-19: formação docente e tecnologias Digitais. Revista Internacional de Formação de Professores (RIFP) 2020; 5:(020028): 1-18.

Kensky VM. Educação e tecnologias: O novo ritmo da informação. Campina, sp: papirus, 2007. (Coleção papirus educação).

Costa HTS, Costa T A, Cardoso JN, Edilene SV, Brito MDO. O uso das tecnologias digitais de informação e comunicação no ensino remoto. Conedu, VII Congresso Nacional de Educação. Educação como (re)Existência: mudanças, conscientização e conhecimentos. [periódicos na internet]. 2020. Acesso em 22 de agosto de 2021. Disponível em: https://editorarealize.com.br/editora/anais/conedu/2020/ TRABALHO_EV140_MD1_SA19_ID5354_01102020203527.pdf.

Downloads

Publicado

05-12-2022

Como Citar

da Silva Goulart, A., Athaide Rocha, K. M., Colman Espíndola Lima, Q., de Vargas Barbosa, N. B., Teixeira da Rocha, J. B., & Folmer, vanderlei. (2022). Concepções de estudantes do Ensino Fundamental sobre o SARS-CoV-2. Revista De Ensino De Bioquímica, 20(2), 279–297. https://doi.org/10.16923/reb.v20i2.1010

Edição

Seção

Pesquisa em ensino