Ciclo celular: construção e validação de uma sequência didática pela metodologia da engenharia didática

Ketelin Monique Cavalheiro Kieling, Aline da Silva Goulart, Rafael Roehrs

Resumo


No ensino de Biologia, muitos conteúdos são complexos e abstratos se tornando um desafio para o professor ensiná-los. Diante desta problemática, se faz necessário o uso de estratégias de ensino que possibilitem a aprendizagem destes conteúdos. A elaboração de Sequências Didáticas (SD) se apresenta como uma estratégia de planejamento de aula muito empregada no ensino de Ciências, permitindo ao professor dar sentido aos conteúdos trabalhados em sala de aula. Neste sentido, constitui-se como objetivo deste trabalho a construção, aplicação e validação de uma SD voltada ao ensino do Ciclo Celular. Para tanto, a metodologia da Engenharia Didática (ED) norteou a construção da SD a partir dos conhecimentos prévios, das dificuldades e obstáculos que os estudantes enfrentam no estudo deste conteúdo e nos auxiliou na validação da SD. Por ser um método indutivo, a validação ocorreu a partir das comparações entre a análise a priori e a análise a posteriori. Os resultados da aplicação da SD foram satisfatórios e a SD foi validada.

Palavras-chave


Biologia molecular; estratégias de ensino; atividades lúdicas

Texto completo:

PDF

Referências


Lazzaroni AA, Gerlinde APBT. Construção e aplicação de um modelo tridimensional como recurso didático para o ensino de síntese proteica. Journal of Biochemistry Education. 2017; 15(2): 36-48.

Gonçalves VF, Ferreira APP, Siqueira AS, Oliveira LN. Baralho da Mitose e meiose: o lúdico e os processos de divisão celular. Revista da SBEnBio. 2016; 9: 1950-1959.

Salim DC, Akimoto AK, Ribeiro GBL, Pedrosa MAF, Klatau GMN, Oliveira SF. O baralho como ferramenta no ensino de genética. Genética na escola, 2007; 2(1), 6-9.

Scheid NMJ, Ferrari N. A história da ciência como aliada no ensino de genética. Genética na escola, 2006; 1(1), 17-18.

Anastasiou LGC, Alves AP. Processos de Ensinagem na Universidade: Pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. 5 ed. Joinville: Univille, 2005, capítulo 3, Estratégias de Ensinagem; p. 367-100.

ZABALA A. A Prática Educativa. Porto Alegre: Artmed; 1998.

Batista AD, Moreira MLL, Silva TP, Almeida RV. Elaboração e Avaliação de uma Sequência Didática de ensino para o conteúdo de eletroquímica. In Anais do III Encontro de Iniciação à docência da UEPB; 15 a 18 de outubro de 2013, Campina Grande, PB. Universidade Estadual da Paraíba, 2013.

Guimarães YAF, Giordan M. Instrumento para construção e validação de sequências didáticas em um curso a distância de formação continuada de professores. In Anais do VIII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências; 05 a 09 de dezembro de 2011, Campinas. Universidade Estadual de Campinas, 2012.

Giordan M, Guimarães YAF, Massi L. Uma análise das abordagens investigativas de trabalhos sobre sequências didáticas: tendências no ensino de ciências. In Anais do VIII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências; 05 a 09 de dezembro de 2011, Campinas. Universidade Estadual de Campinas, 2012.

Pantoja LFL, Silva FHS. Engenharia Didática: articulando um referencial metodológico para o ensino de matemática na eja. In Anais do IX Encontro Nacional de Educação Matemática; 18 a 21 de julho de 2007, Belo Horizonte, MG. Universidade de Belo Horizonte, 2007.

Hermel EES. O Ensino de Biologia Celular na Formação Inicial de Professores de Ciências e de Biologia. In Anais do XVII Encontro Nacional de Didática e prática de Ensino; 11 a 14 de novembro de 2015, Fortaleza, CE. Universidade Estadual do Ceará, 2014.

Paduan MT. Divisão Celular: uma proposta de aula que visa a aprendizagem significativa [Internet]. Porecatu: Universidade Federal do Paraná; 2015. [acesso em 13 Jun. 2018]. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/42388/R%20-%20E%20-%20MICHELINE%20TAVARES%20PADUAN.pdf?sequence=1

Lopes FMB. Ciclo Celular: estudando a formação de conceitos no Ensino Médio [Internet]. Recife: Universidade Federal Rural de Pernambuco; 2007 [acesso em 10 Jun. 2018]. Disponível em:

Cooper GM, Hausman RE. A célula: uma abordagem molecular. 3 ed. São Paulo: Artmed; 2007. p. 4-49.

Junqueira LC, Carneiro J. Biologia Molecular e Celular. Rio de Janeiro: Guanabara, 2000.

Braga CMDS, Ferreira LBM, Gastal MLA. Uso de Modelos em uma Sequência Didática para o Ensino dos Processos da Divisão Celular. Revista da SCEnBio. 2010; 3: 3788 -3802.

Temp, D. S. Facilitando a Aprendizagem de Genética: Uso de um Modelo Didático e Análise dos Recursos Presentes em Livros de Biologia [Internet]. Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria; 2011 [acesso em 26 Mai. 2018]. Disponível em: http://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/6656/TEMP%2c%20DAIANA%20SONEGO.pdf?sequence=1&isAllowed=y.

Silva DRM, Vieira NP, Oliveira AM. O ensino de biologia com aulas práticas de microscopia: uma experiência na rede estadual de Sanclerlândia – GO. In Anais do III EDIPE Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino; 21 a 24 de outubro de 2009. Anápolis, GO. Centro de Estudos e Pesquisas em Didática, 2009.

BRASIL, Parâmetros Curriculares Nacionais/ Ensino Médio: Ciências da Natureza, matemática e suas tecnologias [Internet]. Brasília: Ministério da Educação, 1999 [acesso em 08 mai. De 2018]. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/ciencian.pdf.

Martins ICP, Braga PET. Jogo didático como estratégia para o ensino de divisão celular. Essentia: Ciências Biológicas. 2015; 16(2): 1-21.

Martinez ERM, Fujihara RT, Martins C. Show da genética: um jogo interativo para o ensino de genética. Genética na escola. 2008; 3(2): 24-27.




DOI: https://doi.org/10.16923/reb.v16i2.815

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

SBBq  BDC   e-revistas   DOI     

Licença Creative Commons The content of this journal is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.