Mapeando tendências da pesquisa na área de Educação em Bioquímica da SBBq de 2006 a 2016

Carlos Roberto Cardoso Ferreira, Harryson Junio Lessa Gonçalves

Resumo


Este trabalho tem por objetivo realizar um levantamento de resumos apresentados nas Reuniões Anuais da Sociedade Brasileira de Bioquímica e Biologia Molecular – SBBq, nos anos de 2006 a 2016 e investigar quais tendências estão presentes na área de Educação em Bioquímica no Brasil. Foram encontrados 193 resumos ao todo, onde percebe-se que a produção científica na área tem apresentado um aumento considerável desde 1979. Notou-se uma carência de pesquisas relacionada a currículo e, ainda, uma inserção maior de instituições e trabalhos voltados para metodologias de ensino, porém, com pesquisas direcionadas para técnicas, experimentos e modelos de avaliação para diferentes objetos de ensino. Além disso, é importante considerar a presença de resumos relacionados a sites e blogs, além das tecnologias da informação e comunicação – TIC, que permitem a construção de ambientes virtuais de aprendizagem, promovem a acessibilidade digital e ampliam o acesso à educação.


Palavras-chave


Ensino de Ciências; Tecnologias da Informação e Comunicação; Metodologias de ensino

Texto completo:

PDF

Referências


Sociedade Brasileira De Bioquímica e Biologica Molecular (São Paulo). História. Disponível em: . Acesso em: 11 mar. 2016.

Loguercio RQ, Souza D, Del Pino, JC. Mapeando a educação em bioquímica no Brasil. Ciências & Cognição, [s.i.], v. 10, p.147-155, mar. 2007. Disponível em: . Acesso em: 03 fev. 2016.

Loguercio RQ. Grupos nos limiares do saber: casos da Educação em Bioquímica. 2004. 108 f. Tese (Doutorado) - Curso de Estudos em Educação em Ciências, Bioquímica, Universidade Federal, Porto Alegre, 2004.

Universidade de São Paulo (São Paulo). Programa de Bioquímica. Disponível em: . Acesso em: 06 jan. 2017.

Universidade Federal do Rio de Janeiro (Rio de Janeiro). Programa de Pós-Graduação em Bioquímica – IQ/UFRJ. Disponível em: < https://ppgbq.iq.ufrj.br/>. Acesso em: 06 jan. 2017.

Instituto de Bioquímica Médica UFRJ (Rio de Janeiro). Pós-Graduação – Lato Sensu. Disponível em: < http://www.bioqmed.ufrj.br/lato-sensu/>. Acesso em: 06 jan. 2017.

Instituto de Biologia UNICAMP (Campinas). Pós-Graduação. Disponível em: < http://www.ib.unicamp.br/pos/>. Acesso em: 06 jan. 2017.

Universidade Federal de Pernambuco (Pernambuco). Programa de Pós-Graduação em Bioquímica e Fisiologia. Disponível em: < https://www.ufpe.br/bioquimicaefisiologia/index.php?option=com_content&view=article&id=299&Itemid=175>. Acesso em: 06 jan. 2017.

Universidade Federal do Pampa (Rio Grande do Sul). Programa de Pós-Graduação em Bioquímica. Disponível em: < http://cursos.unipampa.edu.br/cursos/ppgbioq/inicio-2/>. Acesso em: 06 jan. 2017.

Silva IF, Batista NA. Biochemistry in Undergraduate Health Courses: Structure and Organization. Bambed, USA, v. 31, n. 06, p.397-401, nov. 2003.

Santos VT, Anacleto, C. Monitorias como ferramenta auxiliar para aprendizagem da disciplina Bioquímica: uma análise no Unileste-MG. 2007. Disponível em: . Acesso em: 30 dez. 2014.

Moraes AM. A monitoria como espaço de aprendizagem no Instituto Federal Catarinense - Campus Sombrio. 2011. 79 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Educação Agrícola, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, 2011. Disponível em: . Acesso em: 30 dez. 2014.

Mortimer EF, Santos WLP. Políticas e Práticas de Livros Didáticos de Química: o processo de inovação x redundância nos livros didáticos de Química de 1833 a 1987. In: ROSA, Maria Inês Petrucci; ROSSI, Adriana Vitorino. Educação Química no Brasil: Memórias, Políticas e Tendências. 2. ed. Campinas: Átomo, 2012. Cap. 4. p. 85-103.

Ferreira AO, Lima CA, Hornink GG. O ensino-aprendizagem online de Bioquímica e as ferramentas de mediação: um estudo de caso. Rev. Ens. Bioq., [s.l.], v. 12, n. 1, p.5-23, 29 ago. 2014. Sociedade Brasileira de Bioquimica e Biologia Molecular - SBBq. http://dx.doi.org/10.16923/reb.v12i1.287. Disponível em: . Acesso em: 11 mar. 2016.

Pereira TA, Tarcia RML, Sigulem D. Tecnologias Móveis: Aliadas na educação e na Saúde. XIII Congresso Brasileiro em Informática em Saúde – CBIS, 2012.

Policy Guidelines for Mobile Learning. [s.i]: Unesco, 2013. Disponível em: . Acesso em: 12 fev. 2016.




DOI: https://doi.org/10.16923/reb.v15i1.712

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

SBBq  BDC   e-revistas   DOI     

Licença Creative Commons The content of this journal is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.