“METABOLIC RIDE” a conceptual evaluation tool for metabolic biochemistry teaching for graduate and postgraduate students in biological sciences and related areas

Henrique Hessel Gaeta, Bruna Doimi Ortolan, Caroline Fabri Bittencourt Rodrigues, Caroline Ramos da Cruz Costa, Mariane Novo Belchor, Daniele de Oliveira Toyama, Marcos Hikari Toyama

Resumo


A disciplina de bioquímica no geral é considerada de alto grau de dificuldade. Contudo, a aplicação de jogos lúdicos como metodologia de ensino vem se disseminando em várias disciplinas. “METABOLIC RIDE” é uma ferramenta de avaliação conceitual e de percepção para o ensino de bioquímica, visando rever conceitos difundidos em sala de aula, promovendo um desafio competitivo aos estudantes sem negar as ferramentas que estão a sua disposição, estimulando diversas aptidões dos mesmos, como a sua criatividade. Ainda, possibilita correlacionar a importância das rotas metabólicas e suas interligações a fim de sedimentar que os caminhos metabólicos não estão separados, como um mapa ferroviário. Ademais, este jogo se mostrou uma excelente ferramenta de avaliação complementar, mostrando que quando devidamente estimulados alguns grupos foram capazes de mostrar uma capacidade produtiva e criativa. Além disso, mostrou-se novas formas de abordar temas complexos em bioquímica com práticas lúdicas.

Palavras-chave


Mapa metabólico; jogo didático; integração metabólica

Texto completo:

PDF

Referências


Martins, L.D. and Neto, L.S. 2015 Ensino de Bioquímica e Formação Docente: Proposta de Projetos Voltados para o Ensino Básico, Desenvolvidos por Estudantes de Licenciatura. Quimica Nova Esc. 38(3), 224-229.

Escoto, D.F., Rocha, R.A., Ramborger, B.P., Etcheverria, K.W.M., Cavalheiro, K.M. Roehrs, R. and Denandin, E.L.G. 2015. Biochemistry in the idea of graduation students. 44th Annual Meeting of the Brazilian Society for Biochemistry and Molecular Biology Foz do Iguaçu, PR, Brazil, August 24th to 28th, 2015

Pinheiro, T.D., da Silva, J.A., de Souza, P.R., Nacimento, M.M. e de Oliveira, H.D. 2009. Ensino de Bioquímica para acadêmicos de Fisioterapia: visão e avaliação do discente. Revista de Ensino de Bioquímica 7(1), 25-35.

Schimidt, D.B., Heggendomn, L.H., Pereira, H.S., Vieira, V. e Aguiar-Alves, F. 2014. Mapas Conceituais no Ensino de Bioquímica, uma integração entre os conceitos científicos. Revista de Ensino de Bioquímica 12(2), 7-23.

Moran, J. 2001. Novos desafios na educação: a internet na educação presencial e virtual. In Saberes e Linguagens de educação e comunicação. Tânia Maria E. Porto, editora daUFPel, Pelotas, 2001, páginas 19-44.

Yokaichiya, D.K., Galembeck, E. and Torres, E.B. 2004. Adapting a Biochemistry Course to Distance Education. Biochemistry and Molecular Biology Education 32(1), 27-29.

Michael D, Chen S. Serious Games: Games That Educate, Train and Inform. Boston: Thomson Course Technology; 2006.

Lima, R.M. and Fernandes, K.V.S. 2012. Guidelines for Educational Research in Biochemistry on Internet Sites. XLI Reunião Annual da Sociedade Brasileira de Bioquímica e Biologia Molecular – SBBq Foz de Iguaçu 19-22 de maio de 2012.

Ellington H, Addinall E, Percival F. Games and Simulations in Science Education. New York: Nichols; 1981.

Subramaniam R, Khang GN, Sai CL. Word Juxtapoz—an innovative tool for promoting interest in biological education. J Biol Educ. 1999;33:103–104.

Allery LA. 2004. Educational games and structured experiences. Medical Teacher 26(6):504-505.

Silva, C.L., Silva, R.C.L., Santos, J.S. and Souza, E.V.M. 2012. Use of educational games for the Teaching of Biochemistry and Molecular Biology in High School. 4 th International Symposium in Biochemistry of Macromolecules and Biotechnology Recife – PE, 5 a 7 de decembro de 2012.

Campos, M.C.R.M. and Macedo, L. 2011. Desenvolvimento da função mediadora do professor em oficinas de jogos. Revista semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional 15(2), 211-220.

Mattar, J. 2010. Games em educação: como os nativos digitais aprendem. São Paulo: Pearson Prentice Hall; 2010, p 81.

Levy P. Cibercultura. Rio de janeiro. Ed 34, 1999.

Habold, M.S. and Matos, S.S. 2010. Formação continuada: o processo de incorporação das novas tecnologias de informação e comunicação no trabalho do professor universitário e desafios para o professor na sociedade da informação. Ver. Diálogo Educ. 10(30), 317-333.




DOI: https://doi.org/10.16923/reb.v15i0.702

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

SBBq  BDC   e-revistas   DOI     

Licença Creative Commons The content of this journal is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.