Estratégias didático-pedagógicas como alternativas para o ensino de Biologia Celular: curso aos professores de escolas públicas de Ensino Médio de Curitibanos-SC

Viviane Glaser, Patrícia Maria Oliveira Pierre, Ana Carolina da Costa Lara-Fioreze

Resumo


As atividades práticas em Biologia Celular no Ensino Médio são importantes para a aprendizagem; contudo, a maioria das escolas não apresenta laboratórios e equipamentos para tal. Nessas situações, os educadores precisam criar estratégias para o conteúdo ser atrativo, as quais podem ser geradas a partir do conhecimento adquirido em cursos de formação continuada. O objetivo deste trabalho foi descrever o curso de formação continuada ministrado para professores do Ensino Médio do município de Curitibanos-SC, com foco na elaboração de modelos didáticos. O curso foi voltado para a rede pública de ensino, onde diferentes estratégias foram abordadas para o ensino de Biologia Celular. A atividade permitiu aos professores a troca de ideias sobre as abordagens utilizadas em aula, propiciando um ambiente de discussão das práticas pedagógicas. Houve ativa participação dos professores, além de motivação para a pesquisa e criação de estratégias para tornar as aulas mais atrativas para os alunos.

Palavras-chave


Biologia Celular; Estratégias de ensino; Professores do Ensino Médio.

Texto completo:

PDF

Referências


Krasilchik, M. Práticas de ensino de Biologia. São Paulo: EDUSP, 2004.

Silva FSS, Morais LJO, Cunha IPR. Dificuldades dos professores de Biologia em ministrar aulas práticas em escolas públicas e privadas do município de Imperatriz (MA). Revista UNI.2011; 1(1):135-149.

Hennig, GJ. Metodologia do Ensino de Ciências. 2ª ed. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1998.

Garcia MC. Formación del profesorado para el cambio educativo. Barcelona: EUB; 1995.

Rodrigues CG, Krüger V, Soares AC. Uma hipótese curricular para a formação continuada de professores de ciências e de matemática. Ciência & Educação. 2010; 16(2): 415-426.

Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (SAEB). Questionário do professor; 2013. [Acessado em 30 abr 2015]. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/web/saeb/questionarios-contextuais.

Instructables. $10 Smartphone to digital microscope conversion; 2013 [Acessado em 09 mar 2015]. Disponível em: http://instructables.com/id/10-Smartphone-to-digital-microscope-conversion/.

Vasconcelos MS, Milaneze-Gutierre MA, Inada P. Utilização de verniz vitral como meio de montagem de laminários permanentes de material vegetal. Arquivos do Mudi. 2006; 10(3): 32-35.

Aguiar LC da C. Modelos Biológicos de Porcelana Fria. In: SANTORI RT, SANTOS MG dos (Org.) Ensino de Ciências e Biologia- Um manual para elaboração de coleções didáticas. Rio de Janeiro: Editora Interciência; 2015; 55-75.

Fiocruz. Jogo Célula Adentro [Acessado em 04 mai 2015]. Disponível em: http://celulaadentro.ioc.fiocruz.br/.

Gonçalves RR, Martello AR, Epple B, Laurence C, Desbessel J, Post, P. Bingo da célula: Uma ferramenta metodológica para o ensino de biologia celular. Revista Ensino & Pesquisa. 2014; 12(1): 28-47.

Dessen BEM, Oyakawa J. Observação de células humanas em esfregaço de mucosa bucal. [Acessado em 02 out 2016]. Disponível em: http://www.genoma.ib.usp.br/sites/default/files/protocolos-de-aulas-praticas/observacao_celulas_humanas_web1.pdf.

Dessen BEM, Oyakawa J. Observação de células vegetais. [Acessado em 02 out 2016]. Disponível em: http://www.genoma.ib.usp.br/sites/default/files/protocolos-de-aulas-praticas/observacao_celulas_vegetais_web1.pdf.

Dessen BEM, Oyakawa J. Extração de DNA de morango. [Acessado em 09 mar 2015]. Disponível em: http://www.genoma.ib.usp.br/sites/default/files/protocolos-de-aulas-praticas/extracao_dna_morango_web1.pdf.

Dentillo DB. Divisão celular: representação com massa de modelar. Genética na escola. 2009; 3(3): 33-36.

Pereira AJ, Patricio GS, Alves FGS, Gonçalves JJS, Matoso JR. Modelos didáticos de DNA, RNA, ribossomos e processos moleculares para o ensino de Genética do Ensino Médio. Revista da SBEnBio. 2014; 7: 564-571.

Mercado LPL, Freitas MAS. Avaliação de materiais didáticos para educação online dos cursos da UAB: perspectiva analítica e reconstrutiva. Revista e-Curriculum. 2013; 2(11): 537-553.

Gabini WS, Diniz RES. A formação continuada, o uso do computador e as aulas de Ciências nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Revista Ensaio. 2012;14(3): 333-348.

Possobom CCF, Okada FK, Diniz RES. Atividades práticas de laboratório no ensino de biologia e ciências: relato de uma experiência. In GARCIA, W. G.; GUEDES, A. M. (Orgs.). Núcleos de ensino. São Paulo: Unesp, Pró-Reitoria de Graduação. 2003; 113-123. [Acessado em: 15 dez 2015]. Disponível em: http://www.unesp.br/prograd/nucleo2003/index2002.php.

Urzetta FC, Cunha AMO. Análise de uma proposta colaborativa de formação continuada de professores de ciências na perspectiva do desenvolvimento profissional docente. Ciência & Educação. 2013; 19(4): 841-858.

Alves NSF, Moura RC, Batista CC, Raimam MP. Microscópio óptico comum: uma ferramenta motivacional no ensino de Biologia. In Anais da 65ª Reunião Anual da SBPC.; 16 a 17 e 21 a 26 de julho, 2013., Recife, PE. Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência - SBPC. 2013.

Silva DRM, Vieira NP, Oliveira AM. O ensino de biologia com aulas práticas de microscopia: uma experiência na rede estadual de Sanclerlândia– GO. In III EDIPE- Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino. 21 a 24 de outubro, 2009, Goiânia, GO, Centro de Estudos e Pesquisas em Didática - CEPED. 2009. p. 1-4.

Batisteti CB, Araújo ESN, Caluzi JJ. As estruturas celulares: o estudo histórico do núcleo e sua contribuição para o ensino de biologia. Filosofia e História da Biologia. 2009; 4: 17-42.

Gonçalves HF, Moraes MG. Atlas de Anatomia vegetal como recurso didático para dinamizar o ensino de Botânica. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer. 2011; 7(13): 1608-1619.

Vinholi Júnior AJ, Princival GC. Modelos didáticos e mapas conceituais: Biologia Celular e as interfaces com a informática em cursos técnicos do IFMS. Revista Holos. 2014; 30(2):110-122.

Pedroso CV. Jogos didáticos no ensino de Biologia: uma proposta metodológica baseada em módulo didático. In IX Congresso Nacional de Educação – EDUCERE e III Encontro Sul Brasileiro de Psicopedagogia. 16 a 29 de outubro, 2009., Curitiba, PR, PUCPR. 2009. p.3182-3190.

Petrovich ACI, Araújo MFF, Montenegro LA, Rocha ACP, Pinto EDJ . Temas de difícil ensino e aprendizagem em Ciências e Biologia: Experiências de professores em formação durante o período de regência. Revista da SBEnBio. 2014; 7:363-373.

Araújo MFF, Sousa RA, Sousa IC. Instrumentação para o ensino de Biologia I. 2ª ed. Natal: EDUFRN, 2011.

Scheid NMJ, Ferrari N. A história da ciência como aliada no ensino de genética. Genética na escola. 2016; 1(1): 17-18.

Freitas MEM, Miranda M, Fernandes HL, Cinquetti HCS, Beneditti R, Costa E. Desenvolvimento e aplicação de kits educativos tridimensionais de célula animal e vegetal; 2009 [Acessado em: 15 dez 2015]. Disponível em: http://ojs.fe.unicamp.br/ged/cef/article/view/4475/3519.

Loreto ELS, Sepel LMN. Atividades experimentais e didáticas de Biologia Molecular e Celular. 2ed. São Paulo: SBG - Sociedade Brasileira de Genética, 2003.

Campos LML, Bortoloto TM, Felicio AKC. A produção de jogos didáticos para o ensino de Ciências e Biologia: uma proposta para favorecer a aprendizagem. Caderno dos Núcleos de Ensino, 2003; 35-48.

Osborne J, Hennessy S. Literature Review in Science Education and the Role of ICT: Promise, Problems and Future Directions, 2003. [Acessado em 01 mar de 2016]. Disponível em http://hal.archives-ouvertes.fr/docs/00/19/04/41/PDF/osborne-j-2003-r6.pdf.

Cajaiba RL. Difficulty of Science and Biology Teachers to Teach Entomology in Elementary and High Schools in the State of Pará, Northern Brazil. American Journal of Educational Research. 2014; 2(6): 389-392.

Capeletto A. Biologia e Educação Ambiental: Roteiros de trabalho. São Paulo: Editora Ática, 1992.

Silva FSS, Morais LJO, Cunha IPR. Dificuldade dos professores de Biologia em ministrar aulas práticas em escolas públicas e privadas do município de Imperatriz (MA). Revista UNI. 2011; 1: 135-149.

Moraes R. Construtivismo e Ensino de Ciências: reflexões epistemológicas e Metodológicas. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2000.

Cury CRJ. Evolução da educação superior no Brasil: a participação do setor público e da iniciativa privada. In Boletim informativo da Consultoria Universitária internacional – CUI. Rio de Janeiro, RJ, Consultoria Universitária internacional – CUI. 1997. p. 01-12.




DOI: https://doi.org/10.16923/reb.v15i2.675

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

SBBq  BDC   e-revistas   DOI     

Licença Creative Commons The content of this journal is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.