Ensino de Imunologia pela incorporação do conhecimento pelo teatro e a música

Martha Elisa Ferreira Almeida, Virgínia Souza Santos

Resumo


Os conhecimentos de Imunologia são importantes para a prevenção e terapêutica de várias doenças. O objetivo do estudo foi apresentar uma metodologia para o ensino de Imunologia e avaliar sua eficácia quanto à aquisição do conhecimento pelos participantes de um evento. Para avaliar o conhecimento pregresso dos convidados bem como o aproveitamento da peça teatral e da música cantada, cada participante preencheu um questionário, contendo 10 perguntas, antes e depois da apresentação. Os dados foram avaliados pelo teste T pareado a 5%. Em ambos os gêneros houve incorporação do conhecimento após a atividade lúdica, pois as notas depois do evento foram maiores estatisticamente. Os convidados se mantiveram atentos e elogiaram verbalmente o evento. O conhecimento apresentado pela maioria dos participantes foi considerado baixo e regular antes do evento, e após a realização das atividades lúdicas passaram a apresentar notas que categorizou o conhecimento como regular e alto. Concluiu-se que a metodologia adotada colaborou para a aquisição do conhecimento, e que tal fato poderá contribuir com a formação cultural e social dos participantes.


Palavras-chave


arte, universitários, aprendizagem

Texto completo:

PDF

Referências


Abbas AK, Lichtman AH, Pober J. Imunologia celular e molecular. 7. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.

Loreto ELS, Sepel LMN. Formação continuada de professores de biologia do ensino médio: atualização em Genética e Biologia Molecular. Programa de Incentivo à Formação Continuada de Professores do Ensino Médio - Universidade Federal de Santa Maria, 2006.

Souza FHT, Souza EL, Falcao GM, Medeiros LN, Monteiro CH, Mascarenha SR. Impactando as aulas de Imunologia: apresentando o sistema imunológico com aulas práticas. In: Anais do IX Encontro de Extensão e X Encontro de Iniciação à Docência, 2007, João Pessoa. IX Encontro de Extensão e X Encontro de Iniciação à Docência, 2007.

Siqueira-Batista R, Gomes AP, Albuquerque VS, Madalon-Fraga R, Aleksandrowicz AMC, Geller M. Ensino de imunologia na educação médica: lições de Akira Kurosawa. RBEM 2009; 33(2): 186-190.

Freitas AF, Adami F, Albuquerque GA, Belém JM, Nunes JFC. Importância da ludicidade e sua influência na melhoria da saúde do paciente oncológico infantil hospitalizado. e-ciência 2013; 1(1): 1-14.

Berthold M. História mundial do teatro. São Paulo: Perspectiva, 2000.

Carvalho HS, Almeida DA, Castro MS, Rodrigues MRD, Santos FKS. Arte e educação: uma experiência extensionista do teatro na escola pública. Conexão 2015; 11(2): 158-167.

Brasil. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Artes. Brasília: MEC/SEF, 1997.

Araújo WDB, Deus AE, Santos CEM, Pizziolo VR, Almeida MEF. Avaliação do conhecimento de manipuladores de alimentos antes e depois de palestras educativas. Vivências 2011; 7(12): 23-36.

Almeida MEF, Cruz NRC, Souza EFM. Atividades de educação nutricional: uma experiência com trabalhadores. Vivências 2015; 11(20): 190-207.

Salvi C, Ceni GC. Educação nutricional para pré-escolares da associação creche Madre Alix. Vivências 2009; 5(8): 71-76.

Duarte MS, Piovesan JC. Dificuldades de aprendizagem e ludicidade: brincando eu aprendo. Vivências 2013; 9(17): 21-32.

Miranda JL, Elias RC, Faria RM, Silva VL, Felício WAS. Teatro e a escola: funções, importâncias e práticas. CEPPG 2009; XI(20): 172-181.

Boal A. Jogos para atores e não atores. 14. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1998.

Antunes AM, Sabóia-Morais SMT. O jogo educação e saúde: uma proposta de mediação pedagógica no ensino de ciências. EENCI 2010; 5(2): 55-70.

Deminice R, Laus MF, Marins TM, Silveira SDO, Dutra-De-Oliveira JE. Impacto de um programa de educação alimentar sobre conhecimentos, práticas alimentares e estado nutricional de escolares. Alim Nutr 2007; 18(1): 35-40.

Alves L, Melo DHC, Melo JF. Análise do conhecimento nutricional de adolescentes, pré e pós atividade educativa. Em Extensão 2009; 8(2): 68-79.

Ely PH, Balestrin FF, Magalhães KC, Dias SYF, Strada CBC, Godoi SDC. O uso do lúdico na educação em saúde: uma intervenção com crianças de uma instituição de ensino. Interbio 2011; 5(2): 62-64.

Arruda HS, Botrel DA, Fernandes RVB, Almeida MEF. Ação extensionista para fortalecer a importância alimentar e ambiental dos frutos do cerrado em Rio Paranaíba (MG). Conexão 2014; 10(2): 264-277.

Fujimori M, Morais TC, França EL, Toledo OR, Honório-França AC. Percepção de estudantes do ensino fundamental quanto ao aleitamento materno e a influência da realização de palestras de educação em saúde. J Pediatr 2008; 84(3): 224-231.

Silva MI, Orlando TC, Moreno-Cotulio VR, Gouvêa CMCP. Os conceitos de gene e DNA por alunos ingressantes na UNIFAL-MG e a efetividade da dramatização como estratégia de ensino de Biologia Molecular. REB 2014; 12(2): 1-13.

Reverbel O. Um caminho do teatro na escola. São Paulo: Scipione, 1989.




DOI: https://doi.org/10.16923/reb.v13i2.564

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

SBBq  BDC   e-revistas   DOI     

Licença Creative Commons The content of this journal is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.