Seminários: proposta didática para o ensino de Genética

Cibele Marli Cação Paiva Gouvêa

Resumo


O objetivo do trabalho foi utilizar seminários ministrados por um grupo de graduandos do curso de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Alfenas e comparar com um grupo que não apresentou seminários, mostrando que a estratégia contribuiu para o processo ensino/aprendizagem dos primeiros, além de outras habilidades. Os seminários versaram sobre temas da área de Genética, foram escolhidos, preparados e apresentados pelos estudantes, sob a orientação do professor responsável pela disciplina. As apresentações foram abertas a toda comunidade acadêmica, seguida de discussão com os participantes. Os resultados deste trabalho mostraram que os estudantes que apresentaram seminários obtiveram médias na disciplina maiores que as turmas que não apresentaram, indicando maior índice na fixação dos conhecimentos, além de disseminarem conhecimentos na área de Genética para o público participante. A ação ainda promoveu a valorização de habilidades como a autonomia de pensamento e ação, a capacidade de integrar novos e antigos elementos das diversas áreas do conhecimento, o trabalho em grupo e a resolução de problemas.

Palavras-chave


Ciências biológicas; ensino-aprendizagem; ensino superior

Texto completo:

PDF

Referências


Emerick MC, Montenegro KBM, Degrave W. Novas tecnologias na genética humana: avanços e impactos para a saúde. Rio de Janeiro: GESTEC-Nit, 2007.

Duncan RG, Rogat AD, Yarden A. A learning progression for deepening students' understandings of modern genetics across the 5th-10th grades. J Res Sci Teach 2009; 46(6): 655-674.

Knippels MCPJ, Waarlo AJ, Boersma KT. Design criteria for learning and teaching genetics. J Biol Educ 2005; 39(3): 108-112.

Bahar M, Johnstone AH, Hansell MH. Revisiting learning difficulties in biology. J Biol Educ 1999; 33(2): 84-86.

Duncan RG, Reiser BJ. Reasoning across ontologically distinct levels: Students' understandings of molecular genetics. J Res Sci Teach 2007; 44(7): 938-959.

Veiga IPA Técnicas de ensino: novos tempos, novas configurações. Campinas: Papirus, 2006.

Anastasio LGC, Alves LP. Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho docente em aula. 6. Ed. Joinville: Univille, 2006.

Balcells JP, Martin, JLF. Os métodos no ensino universitário.Lisboa: Livros Horizonte, 1985.

Freire P. Pedagogia do oprimido. 27. Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

Severino AJ. Metodologia do trabalho científico. 23. Ed. São Paulo: Cortez, 2007.

Prado C, Pereira IM; Fugulin FMT, Peres HHC, Castilho V. Seminários na perspectiva dialética: experiência na disciplina Administração em Enfermagem. Acta Paul Enferm 2011; 24(4): 582-585.

Hake RR. Interactive-engagement versus traditional methods: a six-thousand-student survey of mechanics test data for introductory physics courses. Am J Physics1998; 66(1): 64-74.

Shi J, Wood WB, Martin JM, Guild NA, Vicens Q, Knight JK. A diagnostic assessment for introductory Molecular and Cell Biology. CBE Life Sci Educ 2010; 9(4):453-461.

Silva MI, Orlando TC, Moreno-Cotulio VR, Gouvêa CMCP. Os conceitos de gene e DNA por alunos ingressantes na UNIFAL-MG e a efetividade da dramatização como estratégia de ensino de Biologia Molecular. Rev Ens Bioq 2014; 12(2): 24-36.

Ausubel DP, Novak JD, Hanesian H. Psicologia educacional. 2. Ed. Rio de Janeiro: Interamericana, 1980.

Matos DAS, Cirino SD, Brown GTL, Leite WL. Avaliação no ensino superior: concepções múltiplas de estudantes brasileiros. Estud Aval Educ 2013; 24(54): 172-193.

Metzner AC. Proposta didática para o curso de licenciatura em educação física: aprendizagem baseada em casos. Educ Pesq 2014; 40(3): 637-650.

Osias JPA. Os gêneros orais como objeto de ensino. Temática 2010; 8(8): 1-20.




DOI: https://doi.org/10.16923/reb.v13i2.559

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

SBBq  BDC   e-revistas   DOI     

Licença Creative Commons The content of this journal is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.