Despertando a curiosidade de escolares sobre o cérebro por meio de visitas semanais de estudantes de neurociência à escola

Geórgia Filipin, Bruna Meyer Perroni, Alexandre dos Santos Martins, Pâmela Billig Mello-Carpes

Resumo


Este estudo tem a finalidade de relatar o impacto de um conjunto de ações denominadas “Neuroblitzes”, realizadas por estudantes de graduação envolvidos em pesquisas na área de neurociência com o intuito de divulgar e popularizar a neurociência no âmbito escolar. As ações aconteceram mensalmente em escolas públicas do município de Uruguaiana/RS/Brasil durante o ano de 2014, tendo como metodologia didática uma breve explanação teórica seguida de uma atividade prática sobre temas relacionados à neurociência. De modo geral as ações foram bem recebidas pelos alunos, sendo classificadas como boas e muito boas, totalizando uma nota média final atribuída pelos alunos de 8,2, considerando uma escala de 0 a 10. As professoras das turmas participantes também enfatizaram os benefícios de atividades lúdicas e interativas no aprendizado do funcionamento do cérebro. Acredita-se que as atividades cumpriram seus objetivos de aproximar a escola da universidade, de despertar a curiosidade de alunos e de divulgar e popularizar a Neurociência.


Palavras-chave


Divulgação da científica; Neurociência; Educação.

Texto completo:

PDF

Referências


Luria, A. R. Fundamentos de Neuropsicologia RJ, Livros Técnicos e Científicos; tradução de Ricardo Juarez Aranha da edição da Penguin Books (Middlesex, 1973) São Paulo: EDUSP, 1981.

Trópia G. Reflexões sobre o discurso na divulgação neurocientífica. Ciência & Ensino 2008; Vol: 2, n. 2.

Vargas LS, Menezes J, Alves N, Sosa P, Mello-Carpes PB. Conhecendo o Sistema Nervoso: Ações de Divulgação e Popularização da Neurociência Junto a Estudantes da Rede Pública de Educação Básica. Ciências & Cognição 2014; Vol 19(2) 233-24.

Mueller SPM. Popularização do conhecimento científico. Revista de Ciência e Informação 2002; V: 3 n.2.

Reis SB, Bastos MQR, Salles A, Rodrigues Carvalho C. Projeto ciência até os ossos: primeiras atividades e desafio. Ciências & Cognição 2010; Vol 15 (2): 111-12.

Benedetti Filho E, Fiourucci AR, Oliveira N, Benedetti LPS, Fernandes RJ. O emprego do teatro como forma de divulgação científica em química. UDESC em Ação- Revista de Extensão 2013; Vol: 7 n.1.

Germano MG. Popularização da ciência como ação cultural libertadora. Universidade Federal de Pernambuco, V Colóquio Internacional Paulo Freire: Desafio à Sociedade Multicultural Recife: UFPE 2005, pp. 1-18.

Bertolazi NA, Fagondes SC, Hoff LS, Pedro, VD, Barreto SSM, Johns MW. Validação da escala de sonolência de Epworth em português para uso no Brasil. J. bras. Pneumol. 2009; Vol 35: n9.

The science of education: informing teaching and learning through the brain sciences. (endereço na Internet). New York: THE DANA FUNDATION (última atualização: 11/2009; citado em 02/2015). Disponível em: http://www.dana.org/news/cerebrum/detail.aspx?id=23738.

Clement L, Fragalli JF, Souza APG, Kruger AL, Hattenhauer I, Schimitt TJ. Palestras para alunos do ensino médio: uma forma de divulgação científica. Edição Especial UDESC em Ação- 45 anos, Revista de Extensão 2010; Vol: 4 n.1.

Cavalcanti CB, PersechiniI MP. Museus de ciência e a popularização do conhecimento no Brasil. Em: Field Actions Science Reports 2011; Vol 3: 1-10.




DOI: https://doi.org/10.16923/reb.v13i2.553

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

SBBq  BDC   e-revistas   DOI     

Licença Creative Commons The content of this journal is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.