“Sintetizando Proteínas”, o jogo: proposta e avaliação de uma ferramenta educacional

Julio Cesar Queiroz de Carvalho, Luciano Douglas dos Santos Abel, Leila Maria Maria Beltramini, Nelma Regina Segnini Bossolan

Resumo


Jogos didáticos têm sido recomendados pelas diretrizes curriculares para o ensino de Biologia, pois estimulam e valorizam as atividades em equipe e propiciam o desenvolvimento espontâneo e criativo dos alunos. O estudo de temas como proteínas e de suas relações entre DNA e RNA, pela complexidade e elevado nível de abstração, pode ser facilitado pelo uso de materiais e estratégias diversificadas. Nesse contexto foi desenvolvido o jogo “Sintetizando Proteínas”, dirigido ao ensino médio, que, por favorecer o reconhecimento, a utilização e a interpretação de um modelo explicativo e representativo de um sistema biológico por parte dos alunos, pode auxiliar na aquisição das competências voltadas para a investigação e compreensão científica e tecnológica. O jogo é composto por um tabuleiro que traz o desenho de uma célula eucariótica em corte, cuja dinâmica envolve o uso de cartões representativos de estruturas e processos bioquímicos.

Palavras-chave


proteínas; jogos; material educacional

Texto completo:

PDF

Referências


Macedo L. Os jogos e a sua importância na escola. Cad Pesqui 1995; 93: 5-10.

Brasil, Ministério da Educação (MEC), Secretaria de Educação Média e Tecnológica (Semtec). PCN+ Ensino Médio: orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais – Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília: MEC/Semtec, 2002.

Banta L. DNA – How sweet it is!. Am Biol Teach 1997; 59(8): 511-512.

Ash V. The report card comment generator: a model to help explain the relationship between genes and alleles. J Biol Educ 2001; 35(2): 100-1001.

Templin MA, Fetters MK. A working model of proteins synthesis using Lego® building blocks. Am Biol Teach 2002; 64(9): 673-678.

Beltramini LM, Araújo APU, Oliveira THG, Abel LDS, Silva AR, Santos NF. A new three-dimensional educational model kit for building DNA and RNA molecules. Biochem Mol Biol Educ 2006; 34(3):187-193.

Atkins T, Roderick J. Demonstration: genetic jewelry. Am Biol Teach 2006; 68(6): 80-85.

Baker WP, Jones CB, Hull E. Modeling protein domain function. Sci Act 2007; 44(2): 43-46.

Seipelt RL. Cookie-ases: interactive models for teaching genotype-phenotype relationships. Am Biol Teach [periódicos na internet]. 2006. acesso em 10 de outubro de 2008. Disponível em: http://www.nabt.org/sites/S1/index.php?p=318.

Turner HM. Simulation and demonstration: the nature of enzymes and how they are denatured. Am Biol Teach 2007; 69(3): 142.

Rothhar R, Pittendrigh BR, Orvis KS. The Lego® analogy model for teaching gene sequencing and biotechnology. J Biol Educ 2008; 40(4): 166-171.

Beltramini LM, Araújo APU. Estudos de aminoácidos utilizando discos giratórios. Biblioteca Nacional, n. registro 249795, 2002. Acesso em 06 de fevereiro de 2010. Disponível em: http://www.bn.br/portal/index.jsp?plugin=FbnBuscaEDA&radio=CpfCnpj&codPer=74696874834.

Beltramini LM, Abel LS, Carvalho JCQ, Araújo APU. Polígono de nucleotídeos um método de estudo. Biblioteca Nacional, n. registro 249990, 2002. Acesso em: 06 de fevereiro de 2010. Disponível em: http://www.bn.br/portal/index.jsp?plugin=FbnBuscaEDA&radio=CpfCnpj&codPer=26568709840.

Biermann CA. The protein a cell built (and the house Jack built). Am Biol Teach 1988; 50(3): 162-163.

Brinner B. Of molecules and models. Sci Sco 1992; 15(7): 14-17.

Corn J, Pittendrigh BR, Orvis KS. Genomics analogy model for educators (GAME): from jumping genes to alternative splicing. J Biol Educ 2004; 39(1): 24-26.

FAPESP. Leila Maria Beltramini; Ana Paula Ulian de Araújo; Luciano Douglas dos Santos Abel. Modelo tridimensional para representar molécula ou parte de molécula de ácido nucléico e kit. BR n. PI 0301512 (A), 15 jun. 2005.

FAPESP. Richard Charles Garratt; Luciano Douglas dos Santos Abel. Modelo topológico tridimensional conceitual para representação de estrutura ou parte de estrutura protéica e kit. BR n. PI 0300610-7 (A2), 19 fev. 2003.

Fink PA. An interactive 3D model of protein synthesis. Am Biol Teach 1990; 52(5): 274-275.

Fletterick RJ, Argetsinger B, Matela R. Protein molecule model. US 4,378,218, 29 mar. 1983.

Kirkpatrick G, Orvis K, Pittendrigh B. A teaching model for biotechnology and genomics education. J Biol Educ 2002; 37(1): 31-35.

Mensch DL, Rubba PA. A study of large hands-on protein synthesis models in a biology class. School Sci Math1991; 91(4): 164-168.

Nelson A, Goetze J. Modeling protein folding applying it to a relevant activity. Am Biol Teach 2004; 64(4): 287-289.

Nicholson BH. Models representing molecular structure. US 3,841,001, 15 out. 1974.

Pigage HK. The central dogma in action. Am Biol Teach 1991; 53(7): 436-437.

Rode GA. Teaching protein synthesis using a simulation. Am Biol Teach 1995; 57(1): 50-52.

Rogerson AC, Cheney Junior RW. A physical model illustrating protein synthesis on the ribosome. Am Biol Teach 1989; 51(1): 29-31.

Santos NF, Beltramini LM. Células organelas virtuais e estruturas moleculares tridimensionais ao alcance das mãos. C H 2004; 35(207): 56-59.

Sprehn JL. Protein building blocks: a concrete model for an abstract thought. Sci Teach 1993; 60(7): 22-25.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (BR/SP)/FAPESP. Leila Maria Beltramini; Aparecido Rodrigues da Silva. Unidades representativas de aminoácidos e kit educacional compreendendo as mesmas. BR n. PI 0802082-5 (A2), 19 mai. 2008.

Asmus EG. Protein structure. Am Biol Teach 2007; 59(1): 38-43.

Araujo-Jorge TC, Cardona TS, Mendes CLS, Henrique-Pons A, Meirelles RMS, Coutinho CMLM, Aguiar LEV, Meirelles MNL, Castro SL, Barbosa HS, Luz MRMP. Microscopy images as interactive tools in cell modeling and cell biology education. Cell Biol Educ 2004; 3(3): 99-110.

Stencel J, Barkoff A. Protein synthesis: role playing in the classroom. Am Biol Teach 1993; 55(2): 102-103.

Clements LAJ, Jackson KE. Protein synthesis – an interactive game. Am Biol Teach 1998; 60(6): 427-429.

Crowther DT, Landon J, Jacobitz K. Protein potluck: doing tasteful science. Am Biol Teach 1997; 59(2): 108-112.

Willmott CJR. Revision bingo. Biochem Mol Bio Educ 2001; 29(5): 193-195.

Pavan OHO. Jogos didáticos: evoluindo-genética. In: Cauê M, Alves OL, organizadores. Conhecimento científico e vida cotidiana. São Paulo. Terceira Margem; 2003.

Davies G, Nuggets. Stories, fun and games: teaching genetics in primary school. J Biol Educ 2005; 40(1): 31-31.

Lewis A, Peat M, Franklin S. Understanding protein synthesis: an interactive card game discussion. J Biol Educ 2005; 39(3): 125-130.

Beltramini LM, Abel LS, Carvalho JCQ. Suporte didático para o estudo de aminoácido. Biblioteca Nacional, n. registro 271.177, 2002. Acesso em 6 de fevereiro de 2010. Disponível em: http://www.bn.br/portal/index.jsp?plugin=FbnBuscaEDA&radio=CpfCnpj&codPer=74696874834.

São Paulo. Secretaria da Educação. Currículo do Estado de São Paulo: Ciências da Natureza e suas tecnologias / Secretaria da Educação; coordenação geral, Maria Inês Fini; coordenação de área, Luis Carlos de Menezes. – 1. ed. Atual. – São Paulo: SE, 2011.152 p.

Carvalho JCQ, Bossolan NRS. Avaliação do impacto do jogo “Sintetizando Proteínas” no processo de ensino-aprendizagem de alunos do ensino médio. Dissertação de mestrado [Física Aplicada – opção Biomolecular]. Universidade de São Paulo: Instituto de Física de São Carlos. 2009.




DOI: https://doi.org/10.16923/reb.v12i1.328

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

SBBq  BDC   e-revistas   DOI     

Licença Creative Commons The content of this journal is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.