Estratégia para o ensino do metabolismo dos carboidratos para o curso de farmácia, utilizando metodologia ativa de ensino

Uderlei Donizete Silveira Covizzi, Patrícia de Fátima Lopes de Andrade

Resumo


A metodologia tradicional de ensino tem sido muito questionada sobre o desenvolvimento de competências e habilidades na formação de profissionais na área de saúde. Nesse tipo de metodologia o professor é o principal transmissor do conhecimento, enquanto o aluno assume o papel de espectador passivo. Algumas instituições brasileiras romperam com esse modelo, estruturando a matriz curricular para o ensino centrado no aluno. Alguns cursos de medicina adotaram a Aprendizagem Baseada em Problemas (ABP), uma forma de ensino onde possíveis problemas a serem deparados pelo futuro médico são apresentados para a resolução em pequenos grupos tutoriais. O trabalho propõe utilizar metodologia ativa de ensino-aprendizagem para desenvolver o tema de metabolismo dos carboidratos, conteúdo oferecido na disciplina de bioquímica do curso de farmácia. Dessa maneira, o conteúdo teórico foi apresentado por meio de palestras curtas e objetivas. Posteriormente os alunos foram divididos em grupos tutoriais para a resolução de questões contextualizadas. Durante as atividades, o professor direcionou a discussão para a elucidação das questões. Ao final do módulo os alunos avaliaram a metodologia desenvolvida por meio de um questionário com escala Likert e o conteúdo desenvolvido foi avaliado por uma prova teórica individual. A média aritmética das respostas encontradas indica que os alunos acreditam ter participado ativamente do processo de ensino-aprendizagem, sendo estimulados à discussão e compreensão do tema desenvolvido. As respostas evidenciam uma aproximação maior entre os alunos e o professor tutor. Na opinião do professor, ocorre maior comprometimento do aluno com a aprendizagem. Conclui-se que uma metodologia inovadora onde o principal responsável pela aprendizagem é o próprio aluno, além de aumentar o interesse em aprender, facilita a aprendizagem pela discussão dos casos em grupo. A contextualização das questões estabelece um estreitamento entre teoria e prática profissional.

Palavras-chave


metodologia ativa, ensino bioquímica, ABP

Texto completo:

PDF

Referências


Zabala A. (1998). A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed.

Demo P. (2003). Aula: trambique de professor.]

Tavares J, Alarcão I. (2001). Paradigmas de formação e investigação no ensino superior para o terceiro milênio. In: Alarcão I, editor. Porto Alegre: Artmed.

Cyrino E, Toralles-Pereira ML. (2004). Trabalhando com estratégias de ensino-aprendizado por descoberta na área da saúde: a problematização e a aprendizagem baseada em problemas. Cad Saúde Pública;20(3):780-8.

Mitre SM, Siqueira-Batista R, Girardi-de-Mendonça JM, Morais-Pinto NM, Meirelles CAB, Pinto-Porto C, Moreira T, Hoffmann LMA. (2008). Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação profissional em saúde: debates atuais. Ciênc saúde coletiva; 13(2):2133-44.

Pratt CW, Cornely K. Bioquímica essencial (2006). Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan.

Page B. (2010). 12 Things Teachers Must Know about Learning. The education digest. April.

Masetto MT (2003). Docente de ensino superior atuando num processo de ensino ou de aprendizagem. In: Competência Pedagógica do professor universitário. São Paulo: Summus.

Schimidt HG, Cohen-Schotanus J, Arends LR (2009). Impact of problem-based, active learning on graduation rates for 10 generations of Dutch medical students. Medical Education. ;43:211-8.

Demo P. (2009) Aprendizagens e novas tecnologias. Revista Brasileira de Docência, Ensino e Pesquisa em Educação Física. 1:53-75.

Kwan CY (2002). Problem-based learning and teaching of medical pharmacology. Naunyn-Schmiedeberg's Arch Pharmacol. ;366:10-7.

Berbel NAN (1998). A problematização e a aprendizagem baseada em problemas: diferentes termos ou diferentes caminhos? Interface - Comunic, Saúde, Educ. 2:139-54.

Moraes MAA, Manzini EJ (2006). Concepções sobre a aprendizagem baseada em problemas: um estudo de caso na FAMEMA. Rev Bras Ed Med. 30(3).

Escolas Médicas do Brasil. [citado em 2011]; Disponível em: http://www.escolasmedicas.com.br/metodo.php.

Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs) para o Curso de Medicina. [citado em 2011]; Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES04.pdf.

Metodologia da aprendizagem baseada em problemas. Universidade Estadual de Londrina; [citado em 2012]; Disponível em: http://www.uel.br/pessoal/moises/Arquivos/APRENDIZAGEMBASEADAEMPROBLEMAS.pdf.

Gomes R, Brino RF, Aquilante AG, Avó LRSD (2009). Aprendizagem Baseada em Problemas na formação médica e o currículo tradicional de Medicina: uma revisão bibliográfica. Rev Bras Educ Med. 33(3).

Ceccim RB, Feurwerkern LCM (2004). Mudança na graduação das profissões e saúde sob o eixo da integralidade. Cad Saúde Publica. 20(5):1400-10.

Uso de Metodologias Ativas de Ensino-aprendizagem em Educação Farmacêutica. [citado em 2011]; Disponível em: http://dnanet.dna.com.br/crfrs/dados/Geraldo.pfd.

Paranhos VD, Mendes MMR (2010). Competency-Based Curriculum and Active Methodology: Perceptions of Nursing students. Rev Latino-Am Enfermagem.18(1):109-15.

Pimenta SG, Anastasiou LG (2002). Docência e ensino: ensinar a quem? In: Docência no ensino superior. São Paulo: Cortez.

Pinheiro TDL, Silva JA, Souza PRM, Nascimento MM, Oliveira HD (2009). Ensino de bioquímica para acadêmicos de fisioterapia: visão e avaliação do discente. Revista Brasileira de Ensino de Bioquímica e Biologia Molecular. 1.

Zeni ALB (2010). Conhecimento prévio para a disciplina de bioquímica em cursos da área da saúde da universidade regional de Blumenau-SC. Revista Brasileira de Ensino de Bioquímica e Biologia Molecular. 1.

Garrido RG, Araújo TO, Oliveira TH, Guarrido FSRG (2010). O lugar da bioquímica no processo de cuidar: visão de graduandos em enfermagem. Revista Brasileira de Ensino de Bioquímica e Biologia Molecular. 1.

Oliveira RC, Iano FG, Silva TL, al e. Percepção dos Alunos do Curso de Odontologia de uma Universidade Brasileira em Relação à Importância da Disciplina de Bioquímica na sua Profissão Revista Brasileira de Ensino de Bioquímica e Biologia Molecular [Internet]. 2006 [citado em ago 2011]. Disponível em: http://www.ib.unicamp.br/lte/bdc/visualizarMaterial.php?idMaterial=346>.

Vargas LHM. A Bioquímica e a Aprendizagem Baseada em Problemas Revista Brasileira de Ensino de Bioquímica e Biologia Molecular [Internet]. 2001 [citado em 19 abr 2012]. Disponível em: http://www.ib.unicamp.br/lte/bdc/visualizarMaterial.php?idMaterial=93>.

Voet D, Voet JG, Pratt CW (2000). Fundamentos de bioquímica. Porto Alegre: Artmed.

Figueira ACM, Sudati JH, Azzolin AS, Rocha JBT (2009). Bioquímica experimental: proposta para ensino de açúcares redutores. PPG em Ensino em Ciências: Química da Vida e Saúde. 1.

Costa PCG (2002). Escala de Autoconceito no Trabalho: Construção e Validação. In: Psicologia: Teoria e Pesquisa. Psic. Brasília, 18(1):75-81.




DOI: https://doi.org/10.16923/reb.v10i1.169

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

SBBq  BDC   e-revistas   DOI     

Licença Creative Commons The content of this journal is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.